Share it

MUMIFICAÇÃO NO ANTIGO EGITO - EMBALSAMAMENTO

Mumificação

O primeiro passo da mumificação era remover os órgãos internos através de um corte no lado. O coração – reconhecido como o centro da inteligência e força da vida – era mantido no lugar mas o cérebro era retirado através do nariz e jogado fora. Os órgãos remanescentes eram armazenados em jarras de canopo.

Em seguida, o corpo era empacotado e coberto com natro, um tipo de sal, e largado para desidratar durante 40 dias. Então era empacotado com linho ensopado de resina, natro e aromáticos e as cavidades do corpo eram tapadas. Finalmente, ele era coberto de resina e enfaixado, com os sacerdotes colocando amuletos entre as camadas. Todo o processo – acompanhado de orações e encantos – levava cerca de 70 dias mas preservava os corpos durante milhares de anos.

DADO CURIOSO
Egípcios comuns não eram mumificados, mas enterrados em sepulturas, onde as condições do deserto quente e seco mumificavam os corpos naturalmente.

Saiba mais detalhes e veja as imagens...




Preparação do corpo

I. O ambiente era aromatizado com incensos.

II. Partes internas do corpo, inclusive o cérebro eram removidas. O coração permanecia no corpo porque deveria ser pesado por Anúbis, deus da morte.

III. Um sacerdote comandava o ritual da mumificação com a máscara de Anúbis no rosto.

IV. O corpo era lavado com vinho da palma e coberto com sal.

V. Após 40 dias, os sacerdotes passavam óleos perfumados sobre a pele e introduziam, no corpo do morto, ervas cheirosas que ajudavam a evitar a decomposição.

VI. O fígado, o pulmão, o estômago e o intestino eram colocados em pequenos jarros que funcionavam como pequenos caixões. Os órgãos acompanhavam o morto na viagem pós-morte.

VII. Os sacerdotes enrolavam o corpo com bandagens embebidas em resina.

VIII. Colocavam amuletos perto do corpo porque eles trariam sorte no mundo pós-morte.

IX. Depois de enfaixada, a múmia era colocada dentro do sarcófago.

X. Na tumba dos faraós eram colocadas comida, bebida e jóias.

XI. A tumba de Tutankhamon, por exemplo, contém jarros de vinho e comida. Ao lado do faraó, assim como sua mulher, foram enterrados músicos.



Acompanhe com as figuras...

Embalsamando o corpo

1ª parte
 

 Primeiro, o corpo era levado para um local conhecido como 'ibu' ou o 'lugar da purificação'. Lá os embalsamadores lavavam o corpo com essências aromáticas, e com água do Nilo.

2ª parte


Um dos embalsamadores fazia um corte no lado esquerdo do corpo do embalsamado e removia os órgãos internos. Isso era importante porque essas partes do corpo são as primeiras a entrar em decomposição.

O coração – reconhecido como o centro da inteligência e força da vida – era mantido no lugar mas o cérebro era retirado através do nariz e jogado fora. – No passado, os órgãos internos eram armazenados em jarras canópicas.

Em seguida, o corpo era empacotado e coberto com natro, um tipo de sal, e largado para desidratar durante 40 dias. Após esse período era empacotado com linho ensopado de resina, natro e essências aromáticas e as cavidades do corpo eram tampadas. Finalmente, ele era coberto de resina e enfaixado, com os sacerdotes colocando amuletos entre as camadas. Todo o processo – acompanhado de orações e encantamentos – levava cerca de 70 dias mas preservava os corpos durante milhares de anos.

Uma haste comprida em forma de anzol era usada para fisgar o cérebro e puxá-lo através do nariz.

3ª parte

O corpo era empacotado e coberto com natro, um tipo de sal, e largado para
desidratar durante 40 dias. Os órgãos remanescentes eram armazenados
em jarras canópicas, para serem sepultados junto com a múmia.

5ª parte

Os órgãos internos desidratados eram enrolados em linho e recolocados na múmia. O corpo também era recoberto com serragem e folhas secas.


6ª parte

~ Os deuses dos órgãos das múmias ~

No passado, os órgãos internos retirados das múmias eram armazenados em jarras canópicas.

Muitos anos depois a prática de embalsamamento foi mudada e os embalsamadores começaram a recolocar os órgãos no corpo do falecido após terem sido desidratados em natro.

(Confira as imagens acima)
 
Imsety - o deus com cabeça de humano velava pelo fígado.

 
Hapy - o deus com cabeça de babuíno guardava os pulmões.

 
Duamutef - o deus com cabeça de chacal tomava conta do estomago.

 
Qebehsenuef - o deus com cabeça de falcão vigiava os intestinos.


Balança de osíris:


Anubis era associado com Ma’at, a deusa da justiça. Os egípcios acreditavam que quando você morresse, você viajaria pelo Corredor dos Mortos. Lá, Anubis pesaria o seu coração contra a pluma de Ma’at, estabilizando a balança primeiro para garantir exatidão. Se o seu coração pesasse mais do que a pluma, ele seria comido pelo demônio.